m

Material didático na escola

Para uma aula de alto nível, contar com um professor bem preparado é fundamental. Mas um bom conteúdo também requer ferramentas de qualidade que despertem e mantenham a atenção do aluno, facilitando o processo de aprendizagem.

Nesse ponto, o material didático tem papel fundamental e não pode ser selecionado com a despretensão de quem pega, no armário, a camiseta que usará dentro de casa. “A escolha do material didático é de suma importância para o desenvolvimento do aluno”, garante Mônica Miotto Bertolini, coordenadora pedagógica do Colégio São Judas Tadeu.

Para ela, todas as plataformas de apoio são válidas nesse processo. “No São Judas, priorizamos os livros, pois, hoje, existe um enriquecimento muito grande nesse tipo de material. Neles, as informações não vêm prontas, algo que estimula o aluno a ler e interpretar os dados mais importantes do texto.” Segundo ela, os livros didáticos também proporcionam ganhos extras ao trazerem assuntos correlatos em seções de dicas ou de textos complementares.

Há outro ponto importante que sustenta essa escolha do São Judas. Os sistemas apostilados, alternativa aos livros em diversas escolas brasileiras, tendem a apresentar conteúdos fixos, rígidos, restritos e, muitas vezes, distantes da realidade dos alunos. O que está na contramão do que o Colégio São Judas Tadeu busca, que é formar cidadãos críticos, capazes de criar e agir com autonomia e responsabilidade, conforme já abordado em “Livro Didático x Apostila”.

Diversidade para uma formação completa

Isso não significa abstrair completamente essa ferramenta da sala de aula. Bem dosadas e utilizadas, as apostilas também podem entrar como recurso nas atividades da escola. Na opinião da coordenadora pedagógica, elas permitem direcionar o conteúdo de maneira mais específica, como na retomada de conceitos mais complexos ou que provocaram maior número de dúvidas entre os alunos. “Usamos três tipos de apostilas. Uma delas é voltada para o início das turmas do 2º ano do Ensino Fundamental, que traz conteúdos elaborados a partir de um balanço do que ocorreu no 1º ano. Detectamos as dificuldades dos alunos e trabalhamos com base nelas, inclusive com orientações para os familiares”, explica Mônica.

A segunda apostila entra como material suplementar para o laboratório de ciências da escola. “São apontamentos para orientar as atividades práticas no laboratório”, diz Mônica. A terceira na disciplina de inglês para os 4ºs e 5ºs anos do Ensino  Fundamental, onde são elaborados, pela professora da área, exercícios de revisão para maior fixação dos conteúdos estudados em sala, assim como também dará apoio aos pais no estudo para avaliações. Todas são elaboradas no próprio Colégio, num trabalho conjunto entre a coordenação e os docentes.

Para efetivar a aprendizagem do aluno, os professores do Colégio São Judas recorrem à outras ferramentas de ensino. Desse modo, o corpo docente tem liberdade para acessar materiais digitais, para que as aulas sejam explanadas de forma mais completa. Conteúdos em vídeo sobre o assunto estudado também são considerados uma ótima estratégia para motivar os alunos a se envolverem com os temas e a fomentar ainda mais a verve criativa e a curiosidade dos estudantes.

Ainda para efetivação dos conteúdos digitais, com a adoção dos livros da Moderna Compartilha, os alunos possuem a comodidade de trabalhar com o livro digital em sua casa, realizar as tarefas digitalmente e ainda manter contato com a professora em caso de dúvidas. Já os professores, possuem vários recursos pedagógicos, como banco de pesquisa e atividades, podendo dar maior ênfase a alguns conteúdos se necessário, adicionar pesquisas aos alunos, lista de exercícios de reforço , sempre com os resultados pontuados aos alunos, ao próprio professor e à coordenação.

O desenvolvimento da cidadania dentro das melhores escolas

Há muitas as possibilidades atuais de integrar os alunos com o tema “cidadania”. No São Judas escola particular no bairro da Mooca, por exemplo, a disciplina “Empreendedorismo” instiga o processo de autoconhecimento. Desse modo, os alunos têm a chance de questionar e desenvolver traços de caráter, significando e valorizando suas ações, algo que contribui para atitudes sadias, dignas e éticas. Também existe um grande incentivo da escola e dos professores para dinâmicas em grupo, role playing (jogo em que os participantes, muitas vezes, fingem serem outras pessoas) e atividades que proporcionam a vivência de diferentes papéis sociais. Leia mais aqui!

Fora do ambiente de aula e estudo, o assunto ainda marca presença em palestras de especialistas convidados, que abordam e debatem temas estreitamente ligados a diversos campos da cidadania.

Durante o Ensino Médio, além da importância para uma formação mais completa de cada estudante, o assunto colabora para que os alunos se sintam mais integrados ao ambiente escolar, identificando-se com ele. Afinal, participar ativamente do mundo e mudá-lo de forma positiva são coisas que fazem parte dos sonhos de todos os adolescentes. A escola, ao lado do núcleo familiar, não pode se omitir no momento de sugerir bons caminhos para eles realizarem esses desejos. Clique aqui e leia mais.

Sem comentários

Postar um comentário