Como ajudar seu filho nos estudos em casa

Cristiane Marangon – SoHan Produtos Editoriais

Quem já foi estudante sabe: todo aluno tem suas facilidades em algumas disciplinas e dificuldades em outras. Saiba o que fazer para ajudar seu filho

Alunas do colégio no horário do recreio

O ano está só começando, mas se o seu filho chegou ao fim de 2017 com frio no estômago e medo de não alcançar a média naquela matéria que custa a entrar na cabeça… bom pensar em estratégias de estudos para 2018 desde já.
Uma delas está no estímulo de atividades extras à sala de aula, mudando aquela mentalidade de que estudar em casa é uma punição ou um mal necessário para alcançar a nota. Longe disso. Estudar abre as janelas para conhecimentos que serão úteis ao longo da vida.
Portanto, a primeira dica é contribuir para mudar o olhar do estudante sobre o tema a ser estudado. Assim, vale buscar referências de algum conteúdo escolar no cotidiano. Que tal falar de biologia abordando a chuva que cai lá fora e os insetos que moram no jardim? Ou explicar matemática com cortes num bolo recém-preparado ou na hora de atualizar o orçamento doméstico? Também dá para estimulá-lo mais por meio de visitas a museus e sessões com documentários ou filmes que abordem coisas relacionadas à matéria em questão.

matriculas 2018 Colégio São Judas

Foco nos objetivos

Diante das inúmeras opções de lazer e distrações, o estudante tende a colocar as lições de casa no fim da lista de prioridades. Mesmo quando elas entram na agenda doméstica, é preciso controlar a capacidade multitarefa das crianças e dos adolescentes. Realizar os afazeres da escola enquanto tecla no celular, acompanhar as redes sociais no computador, ver algo na TV ou ouvir música no último volume sempre reduz a compreensão do material estudado. Por essas razões, é fundamental que os pais acompanhem de perto como o aluno lida com essa responsabilidade. Mas, cuidado: participar, aqui, significa orientar, estimular, apoiar; nunca fazer a lição para o estudante.

Lição de casa com prazer

Há algumas dicas que podem favorecer a hora dos estudos, como propiciar um ambiente tranquilo e agradável; combinar uma rotina para a atividade e sempre bater um papo ao fim desse período – ao formalizar o que aprenderam, eles se apropriam melhor do conteúdo e evidenciam as dúvidas. No meio tempo, tente deixar claro os avanços da criança ou do adolescente nas disciplinas para que eles percebam um ganho real com a aplicação nos estudos. Também vale incentivá-los com materiais didáticos complementares, mais lúdicos e interativos.

Tecnologia a favor

A internet pode ser uma ótima ferramenta para o aprendizado. Nesse ponto, mais uma vez o papel da família é fundamental, no sentido de verificar a qualidade do que se abre na tela do computador e no tempo dedicado ao estudo. Leia mais em https://www.colegiosaojudas.com.br/ajude-seu-filho-a-nao-perder-o-ano-letivo/.

Há sites e canais educativos que servem de aliados nesse objetivo de trazer outras referências para os estudos (neste link – https://mdemulher.abril.com.br/familia/15-sites-para-ajudar-seu-filho-a-estudar/ –, há uma seleção de 15 sites com essa proposta).

Por fim, pode-se pensar até num sistema de recompensas pelo esforço, mas fuja de soluções que envolvam dinheiro e presentes materiais, estimulando um perfil mimado e interesseiro. Você pode, por exemplo, premiar um estudante, logo após os estudos, com um tempo livre para realizar algo que ele gosta, como ver TV, acessar as mídias sociais, jogos de computador e encontrar os amigos.

 

Posts Relacionados:

Colação de grau 2016 do Colégio São Judas Tadeu tem discurso emocionante de formanda
Cresce o Número de Depressão na Adolescência e na Infância
Os perigos da internet na Educação Escolar
A avaliação na escola colocada à prova

Comentários da Matéria

0 comentários

Deixe o seu comentário: