Objetivos do Ensino Médio

Os três últimos anos da educação básica são os melhores para os jovens. É durante esse período que eles compreendem o valor da amizade, aprendem assuntos de alta complexidade, alinham seus interesses com a carreira pretendida, estudam para os vestibulares e se tornam muito mais independentes dos pais. Entender os objetivos do Ensino Médio, a fim de aproveitar o período, é a lição mais fácil de ser concluída pelos jovens!

Os objetivos do Ensino Médio na escolha de carreira

Nessa fase, tudo é vivido intensamente. É por isso que é comum o aluno começar a se aprofundar demais em um aspecto da vida escolar e passar a ignorar momentos importantes nesses três anos.

O equilíbrio entre os elementos que estão presentes no período é a melhor forma de aproveitar o Ensino Médio não somente para o vestibular, mas também para a vida adulta e para si mesmo. Saiba quais são eles:

Dedicação aos estudos

Uma vez que o estudante já tem conhecimento da base de sua formação, é hora de aprender ainda mais. Todo o conteúdo passado será de extrema importância, seja para as provas, para o vestibular e até mesmo para a faculdade.

Para passar de ano, o aluno vai precisar de boas notas, comprovando que foi capaz de absorver e utilizar corretamente os assuntos abordados. Como a complexidade vai evoluindo de acordo com o que é aprendido, a matéria ensinada no primeiro dia de aula do Ensino Médio ainda será muito útil no último dia.

O aluno que já identificou a carreira para seu futuro e quer estudar na melhor universidade para o seu caso precisa se esforçar ainda mais! Além dos estudos no colégio, vai ser necessário focar nos assuntos que tem mais dificuldade em casa e rever as matérias que já domina de acordo com as provas de sua futura instituição de ensino.

No Colégio São Judas, referência entre as escolas particulares na mooca, os alunos podem aproveitar as aulas de reforço gratuita (sétima aula) para melhorar suas notas e se preparar para o vestibular.

Atividades extracurriculares

A partir dos 14 ou 15 anos, idade de entrada no Ensino Médio, o estudante já é praticamente independente dos seus pais, tem muito mais autonomia e está se autoconhecendo. Somados, esses fatores são essenciais para que o jovem faça atividades extracurriculares no contraturno.

Como oferece o Colégio São Judas Tadeu através dos seus encontros do “projeto profissões” com professor especializado no assunto, “projeto atualidades” onde os principais assuntos da atualidade no mundo são discutidos e plantão de redação visando o vestibular.

Os pais devem aproveitar que os filhos já se deslocam sozinhos por toda a cidade, para aproveitar suas habilidades, embora as escolas já contem com atividades extracurriculares dentro do próprio espaço. Atividades tradicionais, como reforço escolar, esportes e idiomas, e as mais inovadoras, como programação, teatro e voluntariado podem ser realizadas nos próprios colégios ou em locais específicos para isso.

Alguns estudantes já são muito decididos nessa fase, e escolhem sem erro as atividades de seu interesse. Outros, porém, não estão tão familiarizados com suas capacidades e podem ficar em dúvida entre opções muito distintas, não concluir a atividade e até mesmo cabular esse momento. É preciso ficar atento para distinguir quando os jovens estão sendo rebeldes, comportamento típico dessa faixa etária, ou quando estão querendo afirmar suas convicções para que o relacionamento familiar não seja prejudicado.

Participação na escola

Nessa fase final da vida escolar, parte dos objetivos do Ensino Médio na visão do aluno, pode ser “deixar a sua marca” no colégio, ainda mais quando o jovem estudou a vida inteira no mesmo local. O interesse é importante, pois o jovem vai adquirindo e fortalecendo seu espírito cidadão.

Nos anos finais, o aluno pode querer se juntar a um grupo de estudos para compartilhar conhecimento em palestras ou exposições com toda a turma; ou fazer parte de uma equipe de voluntários que realizará ações com a comunidade no entorno ou com os próprios alunos.

Relacionamento familiar

Por ser um período turbulento de mudanças físicas; questionamentos internos; discordância de normas estabelecidas; novas responsabilidades e muitas outras novidades, torna-se difícil saber como lidar com a adolescência.

Para os pais, que até outro dia estavam acostumados com crianças obedientes e alegres, a mudança é um choque. Por mais que a relação familiar fique fragilizada durante a adolescência, os jovens devem valorizar o suporte vindo de casa e demonstrar que, apesar das transformações, tem uma ligação profunda com a família. Já os adultos precisam ter boa relação com os filhos desde a infância, pois, quando eles crescerem, será mais fácil compreendê-los e se aproximar deles nesses anos de descobertas.

A troca de experiências e os momentos de convivência entre amigos também são essenciais para aproveitar o período. Essas relações não devem ficar restritas apenas às redes sociais, pois os jovens precisam ter oportunidade de conversar, de explorar novos espaços, de se ajudar mutuamente e de conhecer mais gente com gostos e interesses parecidos para que possam compreender o mundo.

Diversidade cultural

Com a mudança de comportamento dos adolescentes, é natural que o jovem se depare com um ambiente escolar totalmente heterogêneo. Essa diversidade é essencial para que ele conheça realidades muito diferentes da sua, e passe a não só aceitá-las, mas a gostar delas.

Questões como orientação sexual, identidade de gênero, classe social, cor da pele, deficiência física, visão política e imagem corporal são só algumas das diferenças que ficam mais evidentes nesse período. É preciso olhar para elas com a mente aberta, disposto a conhecer e a estabelecer uma opinião sobre o assunto, mas também mudar de ideia se for necessário.

Sem comentários

Postar um comentário